null Qual a forma correta de higienizar o nariz?

Ter, 23 Março 2021 15:10

Qual a forma correta de higienizar o nariz?

Davi Souza Garcia, otorrinolaringologista e docente da Unifor, afirma que a higiene nasal é um hábito que deve ser incorporado à rotina da mesma forma que escovar os dentes.


O uso de soluções salinas, como soro fisiológico, é indicado para a limpeza do nariz.(Foto: Getty Images)
O uso de soluções salinas, como soro fisiológico, é indicado para a limpeza do nariz.(Foto: Getty Images)

Desde o início da pandemia, você já deve ter visto algum cartaz ensinando as técnicas de higienização das mãos, ou algum vídeo circulando pelas redes sociais com a mesma temática. Mas, lavar as mãos não é o único cuidado que se deve ter: uma outra medida simples, mas menos divulgada, é a higienização do nariz. Esse procedimento é tão importante para a saúde individual e coletiva quanto a higienização das mãos.

Para fornecer orientações de como lavar o nariz corretamente, conversamos com o médico otorrinolaringologista Davi Souza Garcia, que é professor do curso de Medicina da Universidade de Fortaleza, instituição da Fundação Edson Queiroz. Ele explicou o que utilizar e como fazer para garantir uma melhor limpeza das cavidades nasais. 

O que utilizar 

No decorrer do procedimento, Davi indica a utilização de soluções salinas, como o soro fisiológico ou soluções comerciais próprias para o nariz, contanto que estas não possuam conservantes ou substâncias associadas, cujo uso prolongado pode trazer irritação nasal. 

“Gosto bastante de indicar o próprio soro fisiológico, por ser mais barato e possibilitar um volume maior na lavagem, principalmente quando o paciente apresenta secreção nasal”, diz o professor. 

Ainda de acordo com ele, o soro, diferente do que muitos acham, não precisa ser guardado na geladeira. Depois de aberto, ele pode ser utilizado em até sete dias, caso mantido em temperatura ambiente. 

Passo a passo

A higienização do nariz é muito simples. Caso decida usar o soro fisiológico, basta o indivíduo juntar as mãos em formato de concha e inspirar o líquido diretamente dali. “No entanto, o mais fácil é utilizar uma seringa e aí não há regra: o soro pode sair pela outra narina ou pela boca”, explica o otorrinolaringologista. 

Ao contrário do soro, os dispositivos comerciais, de acordo com Garcia, têm a vantagem de serem práticos, bastando apenas pressionar uma parte do produto para liberar seu conteúdo próximo ao nariz. 

O professor esclarece também que não existe um consenso médico em relação à posição da cabeça na hora da aplicação do soro. “Ressalto apenas que não deve ser utilizada uma pressão muito grande, para não haver risco de que a solução passe para os ouvidos”, adverte ele. 

Uma dúvida frequente é o quanto de produto utilizar para garantir uma boa higienização nasal. De acordo com Davi, o volume necessário é aquele que faz o paciente sentir que a lavagem foi efetiva. “Fazendo uma analogia: quando vamos lavar as mãos, se elas estão mais sujas, mais água é necessária em relação a uma lavagem de rotina, por exemplo”, explica o professor. 

A frequência e a importância da limpeza

Em relação à frequência da lavagem, o médico Davi Souza Garcia orienta que o hábito seja associado à escovação dos dentes, garantindo que a higienização do nariz seja incorporada na rotina pessoal e feita pelo menos duas ou três vezes ao dia. Caso o indivíduo esteja com algum sintoma nasal, o otorrinolaringologista aconselha lavar a cavidade nasal pelo menos seis vezes ao dia.

Uma boa e constante higienização do nariz, segundo Garcia, é fundamental para o bom funcionamento nasal. “Além de remover impurezas e microrganismos que podem gerar reações alérgicas e infecções, ela ajuda a umidificar as vias aéreas, dando mais conforto ao paciente”, explica o médico.