null Edital estadual “Mulheres na Ciência” contempla docentes da Unifor

Sex, 1 Julho 2022 11:02

Edital estadual “Mulheres na Ciência” contempla docentes da Unifor

A iniciativa da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), agência do Governo do Estado do Ceará, aprovou propostas enviadas por docentes da Universidade de Fortaleza


As professoras Tainah Sales (Centro de Ciências Jurídicas) e Andréia Formico (Programa de Pós-Graduação em Informática Aplicada) tiveram propostas aprovadas pela iniciativa (Fotos: Ares Soares e Alex Campêlo)
As professoras Tainah Sales (Centro de Ciências Jurídicas) e Andréia Formico (Programa de Pós-Graduação em Informática Aplicada) tiveram propostas aprovadas pela iniciativa (Fotos: Ares Soares e Alex Campêlo)

A Universidade de Fortaleza, instituição de ensino da Fundação Edson Queiroz, estimula o desenvolvimento de pesquisas científicas entre o corpo docente e discente. Como consequência das oportunidades na área, as professoras Andréia Formico (Programa de Pós-Graduação em Informática Aplicada) e Tainah Sales (Centro de Ciências Jurídicas) foram contempladas pelo edital Mulheres na Ciência, iniciativa da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), agência do Governo do Estado do Ceará.

O edital visa estimular projetos de pesquisa, de qualquer área de atuação, em instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos do Ceará, que sejam coordenados por mulheres. Para Adriana Rolim, coordenadora de Pesquisa da Unifor, “ter propostas contempladas pelo Mulheres na Ciência reflete o compromisso da Universidade com a equidade de gênero na ciência”.

A Unifor tem como um de seus propósitos incentivar a inserção de mulheres em pesquisas científicas, conforme destaca a coordenadora de Pesquisa. “Desenvolvemos diversas atividades com o intuito de promover a equidade de gênero na ciência, como a promoção do Seminário Maternidade e Ciência, desafio fotográfico, divulgação das atividades desenvolvidas pelas discentes e docentes e, mais recentemente, a extensão do prazo de avaliação da produção científica das docentes que estiveram em licença-maternidade e estão concorrendo às bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica”.

Fomento à participação feminina na ciência

Os esforços da FEQ pela igualdade entre homens e mulheres na ciência se justificam por dados, visto que a participação masculina ainda predomina. Segundo estudo apresentado pelo XIX Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa da Unifor, em 2019, existiam 14.872 bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq no Brasil. Destes, 379 (2,54 %) eram pesquisadores atuando no estado do Ceará, dos quais 133 (35,09 %) eram mulheres. 

Em relação à Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora, são 744 bolsistas no cenário nacional, 19 (2,55 %) atuam no Ceará e somente três (15,78 %) são mulheres. Já na Produtividade Sênior existiam 174 bolsistas e apenas três (1,72 %) atuavam no Ceará (dois homens e uma mulher). 

Conheça as propostas contempladas pelo Mulheres na Ciência

  • Título: SENTINELA: Sistema Inteligente para Monitoramento Remoto de Pacientes Hospitalizados 
  • Coordenadora: Maria Andréia Formico Rodrigues
  • Resumo: Este projeto de pesquisa propõe SENTINELA, um sistema inteligente e não-invasivo para monitoramento remoto do estado de saúde de pacientes hospitalizados. O sistema foca no desenvolvimento de novas soluções tecnológicas. Mais especificamente, na área de Inteligência Artificial, em algoritmos de Visão Computacional e Reconhecimento Óptico de Caracteres e, na área de Computação em Nuvem, na implementação e análise de desempenho de arquiteturas de microsserviços e sistemas autoadaptativos.
  • Título: A Sub-Representação no Parlamento Brasileiro: Uma Análise da Hierarquização Social de Gêneros Refletida nas Comissões e Cargos de Comando das Casas Legislativas Federais
  • Coordenadora: Tainah Simões Sales
  • Resumo: A pesquisa busca o estudo da hierarquização social de gêneros refletida no âmbito interno do parlamento federal brasileiro. A constatação histórica da desigualdade de gênero na dinâmica das relações de trabalho, em especial na ocupação de cargos de maior prestígio social, é elemento contextual fundamental para compreensão das assimetrias de gênero existentes na postulação e ocupação de cargos de representação política no âmbito interno da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Busca-se analisar, de forma específica, e considerando as legislaturas de 1988 até a atual (que findará em 2023), como se dá a participação das mulheres nas comissões permanentes e nas comissões parlamentares de inquérito da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. 
News Navigation Portlet está temporariamente indisponível.