angle-left Aos 72 anos, arquiteto realiza sonho de estudar Jornalismo na Unifor

Qui, 31 Janeiro 2019 10:13

Aos 72 anos, arquiteto realiza sonho de estudar Jornalismo na Unifor

Marcelo Silva tem 72 anos e estuda jornalismo da Unifor. Foto: Ares Soares.
Marcelo Silva tem 72 anos e estuda jornalismo da Unifor. Foto: Ares Soares.

Formado há mais de 40 anos em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcelo Silva, de 72 anos, está realizando um sonho antigo: cursar Jornalismo na Universidade de Fortaleza (Unifor).

A primeira graduação foi concluída aos 26 anos de idade. Já a atual teve início em 2017 e, de acordo com Marcelo Silva, o intuito é não parar de estudar tão cedo e sempre buscar alternativas para melhorar a convivência com os outros e com o mundo.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população acima de 60 de idade tem crescido a cada ano no país. De 2012 a 2017, esse número aumentou em 18% e, para as próximas décadas, a estimativa é de que esse percentual cresça ainda mais.

Natural de Maranguape, cidade da Região Metropolitana de Fortaleza, Marcelo Silva escolheu estudar jornalismo na Unifor pelas boas referências e pelo alto conceito do curso no Ministério da Educação. Também contribuiu para a escolha o fato de já conhecer a estrutura da Unifor, onde concluiu o curso de Belas Artes.

Marcelo desenvolve também trabalho relacionado à política partidária, sendo, por duas vezes consecutivas, prefeito de Maranguape. Atualmente, é presidente do Partido Verde no Ceará e acredita que os conhecimentos adquiridos no curso de jornalismo o ajudarão a ter uma visão mais ampla do contexto político no país e no mundo.

Atuação estudantil e política

A relação de Marcelo com a Unifor teve início com a realização do curso de extensão “Gestão de Cidades”. Tempo depois, ele retornou à instituição para participar de outro curso de extensão: “Desenho e Pintura”. Na sequência, concluiu o curso superior em Belas Artes.

Devido ao seu interesse pelo mundo da comunicação, Marcelo resolveu enfrentar o desafio de retornar à universidade. Ele se interessa particularmente pelas novas mídias e como elas influenciam o comportamento do mundo. 

“Gosto de estudar sobre o processo de comunicação e como as mídias digitais atuam para aperfeiçoar o relacionamento entre as pessoas”, destaca, acrescentando que as novas mídias mudaram o modo de fazer política no Brasil e no mundo. E que tudo está interligado e conectado de forma sistêmica.

Marcelo acredita que quatro pontos são importantes para a continuidade dos estudos e devem ser observados para que a comunicação, dentro ou fora da política, seja vista de forma íntegra e contemporânea: a economia, o social, o cultural e o ambiental. Estes aspectos devem estar interligados para que haja uma maior conscientização da população para maximizar o respeito com o próximo e com o meio ambiente, buscando a sustentabilidade.

Segundo Marcelo, o diferencial da Unifor é a preocupação não só com a formação profissional do aluno, mas com o meio em que vivemos. “Eu elogio essa preocupação com o meio ambiente da instituição ao valorizar o paisagismo dentro e fora do campus”, explica Marcelo.

Na opinião de Marcelo Silva, a arte e a cultura também contribuem para a conscientização, influindo no modo de sentir e agir das pessoas nos mais diversos mundos. Daí a sua luta pela preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural do país, principalmente de Maranguape, sua terra natal.

“Jornalismo não é apenas a atividade cidadã de informar. O papel do jornalismo e da comunicação, de uma maneira geral, é aproximar e estabelecer o diálogo onde ele não existe. Portanto, estudar jornalismo é fundamentalmente um compromisso com o ouvir, o escutar e o dedicar-se com uma série de conteúdos multidisciplinares, que objetivam a busca de soluções e interpretações para um mundo mais justo, mais ético e democrático. Quando vemos que o Curso de Jornalismo da Unifor atinge o coração de gerações de estudantes, a gente assiste feliz ao triunfo desse compromisso”. Professor Wagner Borges, coordenador de Jornalismo da Unifor

Mais informações: (85)  3477.3000

Leia mais: Conheça a história do Major reformado do Exército que voltou a estudar aos 83 anos